O mar

16 ago

Este final de semana em Celle Ligure me fez refletir sobre algumas coisas, e me fez viver experiencias incrìveis, que condivido aqui.

Sempre fui apaixonada pelo mar, mas nunca imaginei que ele fosse me fazer tanta falta. O mar, que, quando moravo no Brasil, nem via tao seguido, mas apenas durante o verao, salvo um ou outr0 feriado.

Mais de uma pessoa jà me disse que eu sou filha de Iemanjà, e acho que estao certos. Porque o mar… o mar me fascina, me transmite uma paz, uma energia toda especial. E percebi que, quando falo em mar, falo especialmente do Oceano. A diferença? Muita. Tantas. A profundidade, mas nao me refiro à profundidade das àguas, mas sim à profundidade com que é capaz de agir sobre mim, sobre a minha alma…

Logo que avistei o mar, ali na Ligura, da janela do carro, meus olhos se encheram de làgrimas. Foi difìcil, muito difìcil conter a emoçao. Eu jamais teria imaginado que a visao, apenas a visao do mar fosse capaz de exercer em mim uma força tao grande. Mas o mar, pelo menos o mar da Liguria, é muito diferente do Oceano, daquelas àguas que nao solo me energizaram sempre, mas que partilharam sonhos, desejos, risos e làgrimas…

Um mar lindo, de uma tonalidade azul maravilhosa, mas.. cheio de pedras. Chegar até a àgua, pra mim, era uma verdadeira tortura, um sofrimento que, por sorte, era compensado pel obanho refrescante que aquelas àguas salgadas me propiciariam. Salgadas? Nem tanto! Pois é, o mar é meio “insonso”… Nem é tao salgado, o oceano é muito mais! (Nem deu aquela ardidinhsa na garganta, muito menos aquela sensaçao que fica nos làbios, depois de um tempao dentro da àgua.

Pedras também na àgua, o que me obrigava a, jà na beirinha, me “jogar” por inteira. No primeiro dia, uma “especie de onda” estourava na beira, com uma certa força. “Mare mosso”, diziam. E eu: ???

Poucos passos e jà “nao dava pé”. Dizem que o nosso oceano é perigoso mas, sinceramente, o mar deles é muito mais. Certo que nao tem onda, mas fica fundo rapidamente, tem corrente, e cansa muito mais. Afinal, ou te moves o tempo todo, ou te afogas. No oceano nao, no oceano caminhas um monte, com a àgua que vai cobrindo cada parte do corpo, aos poucos… No oceano, se vem onda forte e estàs no raso, podes pisar firme no chao, naquela areia fina, e esperar que passe. Se jà estàs com a àgua na altura da cintura, por exemplo, basta mergulhar, e deixar que a onda “passe por cima”.

O mar da Ligùria é lindo, refresca, diverte… mas nao é tao “màgico”. Parece mais uma grande piscina salgada. Se divertir usando as ondas para ir até a beirinha, pular as ondas, absorver toda aquela energia… Isso nao.

Saudades das “nossas” praias, daquela areia fininha que nos massageia os pés e que é quente sò là em cima, bem longe da àgua, e que, mesmo assim, esfria com facilidade, saudades do mar talvez nao tao azul, do mar certamente muito mais gélido, aquele “mar” imenso, com ondas que nos fazem cair, se nao sabemos como enfrentà-las. Um mar que muitas vezes, à noite, cobre toda a praia, como se tentasse purificar o nosso caminho para o dia seguinte.

Falando em praia, ali onde estivemos, areia grossa, como se tivessem colocado pedras e batido no liquidificador. Areia quente e que machucava os pés. A praia era um corredor estreito, cheio de cadeiras e guarda-sòis. “Um espaço na areia vale ouro”! Nem pensar em correr da areia pra se jogar na àgua, em jogar volei ou frescobol, em caminhar molhando os pés na àgua. Falta espaço, sem falar que a areia queima, e as pedras machucam. Correr pra àgua, seria uma verdadeira “corrida de obstàculos”.

Nao quero que me entendam mal, eu amo o mar, amo a àgua, e amei ter ido à praia. Me diverti muito, passamos momentos maravilhosos, a praia é linda, e tudo isto compensa a “falta de espaço”. Eu estava com MUITA saudades do mar, a àgua salgada me dà energia, me alivia o stress, me “recarrega”. A ùnica coisa é que descobri que, o que me faz este bem todo, nao é simplesmente o mar, mas a sua força, a força das ondas, o gélido das àguas, o sal que arde na boca. Me fez um bem incrìvel estes poucos dias na praia. E certamente, se estivesse no Oceano, teria sido ainda melhor.

Anúncios

3 Respostas to “O mar”

  1. odessa 16 de agosto de 2011 às 17:09 #

    Oh, Marian, voce me faz chorar de emoçao! Emoçao de lembrar da Italia, emoçao de lembrar do Brasil. Aqui estamos rodeados por mar, sonho com o mar… e minhas lagrimas tem gosto de mar (salgadas). Boas ferias, agradece a mae Iemanja pela força que ela tem o nos transmite. A agua limpa, descarrega, recarrega e brilha. Un bacioni nel cuore!! Ode.

    • marianfsouza 16 de agosto de 2011 às 17:40 #

      Verdade Ode!! E… que bom sentir que sentimos o mesmo… esta imensidao que nos circunda, esta energia maravilhosa, que nos dà força, mesmo quando estamos distantes. Sim, a làgrima, a emoçao, a vida… Me vejo em ti querida!! Beijos!

      • odessa 16 de agosto de 2011 às 17:53 #

        Não existem mais palavras que respondam às tuas. Uma beijoca no fundo do seu coração.

        PS: Pena que Deus nos reuniu novamente por um fugaz momento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: