Diferenças culturais

30 dez

Faz um tempo que eu vinha pensando em escrever sobre algumas diferenças culturais, sobre uma mistura de culturas, sobre as minhas vivencias e sobre algumas curiosidades… Mas nada é por acaso, realmente, e hoje, penso, era o momento exato para entrar neste blog e escrever estas linhas… (E outro post, que virà depois).

Milao é uma cidade multicultural, repleta de estrangeiros, nao apenas turistas, mas muitos que vivem, trabalham, moram, enfim, que construìram a sua vida aqui. Isto a meu ver tem seus pròs e contras, suas vantagens e desvantagens. A verdade é que muitos dos estrangeiros trabalham com coisas que os italianos nao gostam (ou nao gostavam)? Sao operàrios, “badantes”, baby-sitters, “pedreiros”, enfermeiras (aqui faltam!), ecc… Mas è bem verdade que, com a crise que assola o Paìs, italianos estao menos exigentes sobre onde,como e no que trabalhar…e a presença de tantos estrangeiros, às vezes parece incomodar.

Embora praticamente todo o tempo se tenda a ver Milao como uma cidade que recebe, que acolhe, nas “entrelinhas”, nem sempre é assim. Como em todo o mundo ,existem pessoas e pessoas. Como um episòdio que aconteceu num dos bondes, hà alguns meses. Entrou um “controlore” (fiscal) e verificou que 2 pessoas estavam sem a passagem: um adolescente italiano e um senhor, jà de idade, meio maltrapilho, provavelmente um estrangeiro sem-teto. (Que, nonostante la povertà, era pulito e vestito bene, e molto educato). O que nos deixou um pouco chocados, foi o fato que, para o jovem, “fecharam um olho”, e, o idoso, o fizeram descer imediatamente. (Se nao fosse um extracomunitàrio, teria sido diferente?)

Hà anos, a Itàlia recebeu uma quantidade incrìvel de imigrantes, especialmente da europa do Leste. Como acontece no Brasil, especialmente nas grandes cidades, é muita gente! Assim sendo, muitos acabam virando pedintes.

Acho que cada um deve tentar preservar ao màximo a sua cultura, seja ela qual for. Mas, ao mesmo tempo, acredito que, no momento em que escolhemos uma nova Pàtria para vivermos, e que esta nos recebe de braços abertos, devemos, innanzitutto, respeità-la, e respeitar a cultura, os modos e os costumes deste lugar que nos acolheu. Assim, quando vejo alguns estrangeiros que formam seus “guetos” e nao se misturam, ou quando vejo pessoas que moram aqui hà anos e nao sabem falar em italiano (e nao fazem o mìnimo esforço apra aprender), quando vejo pessoas tentando impor seus costumes, sua religiao, suas crenças. (Diferente seria se sinplesmente a “vivessem”!)… quando vejo acampamentos abusivos, pessoas vivendo sem condiçoes de higiene e saneamento bàsico mas ,ao mesmo tempo, se negando a ir habitar no que lhes é oferecido, confesso que me sinto meio mal de ser estrangeira…Além disso, falando de Brasil, ainda existe, aqui, aquela visao de samba, alegria, sexo, festa… mulatas… sensualidade…E, cada um que me conhece, demora um pouco para se convencer que eu seja mesmo brasileira… Como assim? E o contraste que hà entre o sul do Brasil e o RJ, e a Bahia, se torna evidente. (E confesso que nao creio que irei me acostumar ao fato que nos ditos “restaurantes brasileiros” sirvam churrasco gaùcho acompanhado de samba “baiano”, com “mulatas loiras” que lembram o carnaval do Rio e falam com sotaque paulista!)

Bem, mas acabei perdendo o fio da meada. Queria falar sobre hàbitos e costumes. Sabiam que aqui, no Natal, enquanto algumas crianças esperavam o “Babbo Natale”, outras esperavam o Gesù Bambino? Sim! para alguns, quem traz presentes é o menino Jesus! Tao querido que, no dia do seu aniversàrio, presenteia outras crianças!!

E falando em presentes, todos esperam, ansiosos, que arrive dia 6. Dia dos Reis Magos, mas também, dia da “Befana”, bruxa que traz, para as crianças “boazinhas”, doces, chocolates e guloseimas, e, para as “màs”, pedaços de carvao. Neste perìodo, os supermercados sao invadidos por vàrios modelos de “meias” repletas de doces!!

Agora, com o ano novo se aproximando, uma diferença é a que mais chama a atençao:

Primeiramente, mesmo sendo inverno, as roupas expostas na vitrine sao todas… decotadas, vestidos sem manga, que se usaria muito bem no… verao. A Elisa, irma do Ste, me disse que é da alguns anos que a moda, aqui em Milao, nao preve algo especìfico de inverno. Que os vestidos, tecidos, malhas, sao os mesmos…E apsotam nos flouars, lenços, xales, para dar uma aquecida!

Bem, eis que eu e a Elisa fomos em busca de um vestido para eu usar no Reveillon!! Pricipal diferença: sabem quais as cores do Ano Novo aqui na Itàlia? O VERMELHO (especialmente para as peças ìntimas) e o… PRETO!! Isso mesmo! Aqui a cor é o PRETO! inicialmente eu falei pra Elisa que me sentiria estranha vestindo preto na virada do ano, mas no final acabei me rendendo! (Tudo culpa de um vestido que me “chamou”!)- Bem, entao.. na virada ,estarei vestida de preto, con aquela fluar (como se escreve?) que ganhei da tia lourdes, meio creme, meio dourado, com 2 flores cor gelo por cima e, para me cobrir do frio, aquela echarpa vermelha, de cashmere, que tenho jà hà alguns anos. E voilà!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: